Segurança bancária é tema da terceira mesa do Encontro do Bradesco

Trabalhadores debatem como a retirada das portas giratórias é arriscada

“O ano de 2022 será fundamental para a segurança do bancário dentro das agências”. Essa é a opinião Elias Jordão, coordenador do Coletivo de Segurança Bancária da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), que participou da mesa de segurança bancária do Encontro Nacional dos Trabalhadores do Bradesco, realizado de forma digital na manhã desta terça-feira (3).

Isso porque, segundo Jordão, os bancos estão investindo massivamente em novos modelos de agências, as chamadas agências de negócios, sem portas de segurança. “Eles argumentam com as quedas nas estatísticas de crimes, pela digitalização e virtualização do dinheiro. A Polícia Federal, mesmo com a nossa pressão, tem autorizado o plano de segurança em agências que não circulam o numerário”, lamentou.

O coordenador do Coletivo de Segurança Bancária lembrou que este é um debate de mais de 20 anos. “Os bancos resistiram muito para aceitar esse debate. Nossa conquista veio com a prova de que as portas de segurança são um item inibitório de ataques às agências. A retirada abrange todos os bancos, que estão aproveitando esse momento e a conjuntura, com rodízio nas agências e dirigentes sindicais em home office. Não podemos aceitar. Temos que nos mobilizar e evitar que isso aconteça.”

O Encontro Nacional dos Trabalhadores do Bradesco voltará após o almoço.

Programação

  • 13h30 – Balanço do banco
  • 14h20 – Teletrabalho – Magaly Fagundes, coordenadora da COE Bradesco
  • 15h – Apresentação proposta dos encontros estaduais/regional
  • 17h – Encerramento

Fonte: Contraf-CUT

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Sede Barra Mansa
Sede Campestre:
Subsede Volta Redonda:

Copyright 2021 - Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense

Como podemos ajudar?