Live sobre saúde mental, destaca direitos do trabalhador bancário e procedimentos junto ao INSS

Neste mês de outubro, onde celebramos no dia dez o Dia Mundial da Saúde mental, nosso Sindicato vem destacando a importância da prevenção e tratamento de problemas relacionados com a saúde mental dos bancários. O Bancariosul, através de uma série de lives, coloca em pauta essa discussão, que é de suma importância para todos nós. No dia 13/10, a live coordenada pelo, presidente Júlio Cunha, teve como palestrante a Dra. Ana Luíza, psicóloga, que discorreu sobre os principais transtornos e tratamento para recuperação de uma vida saudável.

Ontem, 14/10, foi transmitida a segunda live, coordenada pelo diretor de saúde Miguel Pereira, onde a Dra. Anne Mejia, advogada previdenciária, falou sobre os direitos dos bancários e os procedimentos junto a empresa/INSS.

Para se ter uma ideia da dimensão do acometimento destes transtornos mentais em nossa categoria, veja os dados abaixo:

CONCESSÃO DE BENEFÍCIOS – DADOS OFICIAIS

AUXÍLIO DOENÇA

2019.            2020

213,2 mil      285,2 mil (+ 33,7%)

APOSENTADORIAS POR INAVLIDEZ – PROBLEMAS MENTAIS

2019.            2020

241,9mil        291,3mil (+20,4%)

Esse percentual superou e muito as concessões de benefícios decorrentes de doenças classificadas como osteomusculares – LER/DORT, que ficaram na segunda colocação desse ranking, com aumento de 28,8% entre 2019/2020.

BANCÁRIOS

Dados entre 2009 e 2017 apontam que o número total de bancários afastados por doenças crescera 30%.

AUXILIO ACIDENTÁRIO/PREVIDENCIÁRIO

2009.      2017

13.297.   17.310

Pelo menos metade desses casos foram por transtornos mentais, que cresceram 61,5%no período, enquanto as enfermidades relacionadas aos esforços repetitivos tiveram um incremento de 13%. segundo dados do próprio INSS.

Ainda segundo o Ministério Público do Trabalho – MPT, os bancos foram os responsáveis por 5% dos trabalhadores afastados por doenças entre 2012 e 2017, enquanto a categoria representava apenas 1% dos empregos no país.

O que demonstra que o trabalho bancário tem relação direta com os níveis de adoecimento.

Outro dado comparativo é que na população geral, 50% dos adoecimentos não são psíquicos ou do sistema músculo esquelético.

Daí que a busca de soluções é obrigação de todos os atores envolvidos, mas principalmente aponta a urgência dos bancos em rever seu processo de organização e divisão do trabalho, e principalmente das formas de gestão. Porque os lucros não podem ser colocados acima da vida.

Acesse a live na íntegra em nosso canal: Youtube

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Sede Barra Mansa
Sede Campestre:
Subsede Volta Redonda:

Copyright 2021 - Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense

Como podemos ajudar?