Santander faz campanha para ajudar vítimas de tragédia

O Santander está fazendo uma campanha para arrecadar fundos e ajudar as vítimas da tragédia do litoral norte de São Paulo. Até agora, segundo a Defesa Civil, já são 49 mortos, 57 desaparecidos e, pelo menos, 2.500 desabrigados devido às fortes chuvas que atingiram a região durante o Carnaval.

Segundo a coordenadora da Comissão de Organização dos Empregados (COE) do Santander, Lucimara Malaquias, “diversas entidades, públicas e privadas, estão realizando uma verdadeira força-tarefa, para reunir, no menor tempo possível, artigos que serão encaminhados aos desabrigados.”

Quem puder ajudar com recursos financeiros, pode usar o PIX: AG 3832 / Conta 130.005.355. As doações de alimentos não perecíveis, água potável e artigos de primeira necessidade, podem ser entregues nas agências do banco em Caraguatatuba Centro, Ubatuba, São Sebastião e Guarujá Centro, que funcionam como pontos de coleta.

Os recursos vão ser encaminhados ao Instituto Verde Escola, que fechou parceria com o banco e atua diretamente nas comunidades mais afetadas.

Lucimara ressaltou ainda que “o Santander informou que os funcionários e suas famílias, das regiões atingidas pela tragédia ambiental, estão sendo acompanhados por meio do PAPE, o Programa de Apoio Pessoal Especializado (PAPE), que pode ser contatado por meio da intranet da empresa.”

Responsabilidade social

Bancária do Santander e secretária de Relações Internacionais da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT), Rita Berlofa, falou sobre a importância da responsabilidade social:

 “Para além desta ajuda, recebida nas agências ou por meio de pix, temos que cobrar a contrapartida social dos bancos, para que ajudem todas as regiões atingidas. Neste momento, de tamanha tragédia, a comunidade precisa do apoio da iniciativa privada, do setor financeiro, para reconstruir essa região e, principalmente, ajudar as pessoas que perderam absolutamente tudo.”

Rita lembrou ainda das pessoas humildes que trabalham nos grandes condomínios da região.

“É sabido que muitos diretores e executivos de bancos têm residência tanto na Praia da Baleia, quanto no Canto do Moreira, em Maresias, onde estão condomínios de alto padrão. Então, é a hora de exercer a contrapartida social às comunidades afetadas, onde existem pessoas que prestam serviços para esses condomínios e que perderam familiares e bens. Os bancos precisam ter em mente essa responsabilidade social com a comunidade”, completa.

Está gostando do conteúdo? Compartilhe!
Sede Barra Mansa
Sede Campestre:
Subsede Volta Redonda:

Copyright 2021 - Sindicato dos Bancários do Sul Fluminense

plugins premium WordPress
Como podemos ajudar?